Open Banking – O que é, e quais as vantagens?

O que é o open banking?

O Open Banking é um conjunto de tecnologias e regras estabelecidas pelo Banco Central, que permitirá ao cliente (correntista) escolher quais instituições financeiras, empresas e aplicativos terão acesso aos seus dados financeiros, como por exemplo os dados cadastrais, renda e faturamento, extratos bancários, perfil de consumo, capacidade de compra entre outros.

Quais as vantagens do open banking?

Para o correntista, uma das vantagens será o histórico financeiro, que é uma consideração importante ao abrir uma nova conta, toda sua movimentação automaticamente será migrada para a nova instituição financeira, podendo analisar seu crédito com maior facilidade e te oferecer benefícios que dependem dessa informação.

Com a chegada das fintechs e novos bancos, a concorrência será maior entre as instituições bancárias, obrigando-as á oferecer uma melhor experiência com serviços financeiros aos clientes.

Quais são as fases do projeto?

Fase 1 – 01/02/2021

O Open Banking começa com as instituições participantes disponibilizando ao público informações padronizadas sobre os seus canais de atendimento e as características de produtos e serviços bancários tradicionais que oferecem. Nessa fase, não será compartilhado nenhum dado de cliente.

Com isso, podem surgir soluções que comparam diferentes ofertas de produtos e serviços financeiros, auxiliando as pessoas a escolherem a opção mais adequada ao seu perfil e necessidades. Entre as possíveis soluções que podem surgir estão os comparadores de tarifas bancárias, de tipos de contas e de cartões de crédito.

Fase 2 – 15/07/2021

A partir dessa fase, os clientes, se quiserem, poderão solicitar o compartilhamento entre instituições participantes de seus dados cadastrais, de informações sobre transações em suas contas, cartão de crédito e produtos de crédito contratados. É preciso reforçar que o compartilhamento ocorre apenas se a pessoa autorizar, sempre para finalidades determinadas e por um prazo específico. E será possível para o cliente cancelar essa autorização a qualquer momento em qualquer das instituições envolvidas no compartilhamento.

Como principal benefício, será possível aos clientes receber ofertas de produtos e serviços mais adequados ao seu perfil, a custos mais acessíveis e de forma mais ágil e segura. Também poderão surgir soluções mais personalizadas de gestão e de aconselhamento sobre finanças pessoais, por exemplo. O ecossistema financeiro como um todo também ganha com mais inovação, maior competitividade e com a racionalização de processos.

Fase 3 – 30/08/2021

Nessa fase, surge a possibilidade de compartilhamento dos serviços de iniciação de transações de pagamento e de encaminhamento de proposta de operação de crédito.

Isso abre caminho para o surgimento de novas soluções e ambientes para a realização de pagamentos e para a recepção de propostas de operações de crédito, possibilitando o acesso a serviços financeiros de forma mais fácil, célere e por meio de canais mais convenientes para o cliente, preservando a segurança do processo. Vale lembrar que também nesses casos o compartilhamento só acontece com a autorização prévia e específica do cliente.

Fase 4 – 15/12/2021

Dados sobre outros serviços financeiros passam a fazer parte do escopo do Open Banking. Os clientes – sempre que quiserem e autorizarem – poderão compartilhar suas informações de operações de câmbio, investimentos, seguros, previdência complementar aberta e contas-salário, bem como acessar informações sobre as características dos produtos e serviços com essa natureza disponíveis para contratação no mercado.

Assim, amplia-se ainda mais a possibilidade de surgimento de novas soluções para a oferta e a contração de produtos e serviços financeiros, mais integrados, personalizados e acessíveis, sempre com o consumidor no centro das decisões.